PERDAS E DESPERDÍCIOS DE ALIMENTOS AO LONGO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

UMA ANÁLISE DE REGIÕES DESENVOLVIDAS E EM DESENVOLVIMENTO

  • Lucas Rodrigues Deliberador
  • Mário Otávio Batalha
  • Clarissa Dourado Freire
  • Amanda Oliveira Fontenelle
  • Felipe César Sabadini

Resumo

Estudos sobre perdas e desperdícios de alimentos vêm aumentando no decorrer dos últimos anos, em consequência dos impactos econômicos, sociais e ambientais causados por essas avarias, que ocorrem desde a produção do alimento até o seu consumo final. Entretanto, a literatura distingue os termos “perdas” e “desperdícios” conforme o estágio em que a avaria ocorre na cadeia de suprimentos alimentar (CSA).


Avarias que ocorrem no início de uma CSA, nos estágios de produção, pós-colheita e processamento são consideradas “perdas”, enquanto que avarias que ocorrem no final de uma CSA, nos estágios de distribuição e consumo, são consideradas “desperdícios”. Nesse contexto, este trabalho busca analisar através de dados secundários coletados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), as porcentagens de avarias de alimentos ocorridas em diferentes grupos de países desenvolvidos e em desenvolvimento, identificando suas possíveis causas. Dentre os alimentos analisados, destacam-se os grãos e cereais, raízes e tubérculos, oleaginosas e leguminosas, frutas e vegetais, carnes, peixes e frutos do mar, e leite. Por fim, o estudo conclui que a quantidade de alimentos perdidos ou desperdiçados em regiões desenvolvidas e em desenvolvimentos são divergentes. Geralmente, regiões desenvolvidas desperdiçam mais alimentos, embora que regiões em desenvolvimento enfrentam desafios maiores no gerenciamento de perdas e desperdícios.

Publicado
Nov 15, 2018
Como Citar
DELIBERADOR, Lucas Rodrigues et al. PERDAS E DESPERDÍCIOS DE ALIMENTOS AO LONGO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS. South American Development Society Journal, [S.l.], v. 4, n. Esp01, p. 11, nov. 2018. ISSN 2446-5763. Disponível em: <http://www.sadsj.org/index.php/revista/article/view/174>. Acesso em: 14 dez. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.24325/issn.2446-5763.vespi1p11-27.