TELETRABALHO E A GESTÃO DE CUSTOS DOS EMPREGADOS AS ORGANIZAÇÕES EMPREGADORAS

  • Wangles Calson Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP
  • Narcisio Rios Oliveira Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP / Universidade Santo Amaro - UNISA
  • Catherine Oliveira de Araujo Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP
  • Grazielly Teodosio Nascimento Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP

Resumo

A reforma trabalhista que ocorreu no Brasil em 2017 foi a principal responsável pela regulamentação do home office no país. Essa nova maneira de trabalhar, tem crescido nas empresas que visam manter a competitividade, melhorar a qualidade de vida no trabalho e aprimorar o desempenho do seu negócio. Diante do exposto este ensaio tem como objetivo identificar as vantagens do teletrabalho, com ênfase nas relações trabalhistas e gestão de custos às organizações. Embora exista um árduo e desafiador trabalho para calcular os custos fixos e variáveis envolvidos no teletrabalho, destaca-se a necessidade de que estes estejam devidamente registrados, inclusive em contrato escrito, de forma que seja garantida a devida infraestrutura necessária a realização adequada e eficiente das atividades, no entanto, é imprescindível que ocorra o diálogo constante entre empregador e empregado, a fim de que acordos sejam estabelecidos e que ambas as partes sejam beneficiadas. Apesar da existência de custos inerentes ao fornecimento de materiais e equipamentos para o desempenhar das atividades laborais, o teletrabalho vem ganhado forças especialmente pela redução de custos relacionadas a manutenção de espaços físicos das organizações e por promover aumento na produtividade dos colaboradores, além desses, destacam-se também a redução de viagens, economia de espaços para escritórios e estacionamentos, diminuição de faltas e licenças de colaboradores, manutenção das atividades frente a eventuais desastres, tal como a pandemia Covid-19 entre outras.

Publicado
mai 7, 2022
Como Citar
CALSON, Wangles et al. TELETRABALHO E A GESTÃO DE CUSTOS DOS EMPREGADOS AS ORGANIZAÇÕES EMPREGADORAS. South American Development Society Journal, [S.l.], v. 8, n. 22, p. 366, maio 2022. ISSN 2446-5763. Disponível em: <http://www.sadsj.org/index.php/revista/article/view/453>. Acesso em: 07 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.24325/issn.2446-5763.v8i22p366-379.